Cidadão Consumidor

www.cidadaoconsumidor.com.br
o site da cidadania
Em Queda

Financiamento de carros novos cresce menos do que os emplacamentos no primeiro trimestre

14/04/2019 - 17:35 (Foto: Reprodução )

O financiamento de carros novos (automóveis e comerciais leves) no Brasil cresceu menos do que os emplacamentos no primeiro trimestre. Com isso, a participação do crédito nas vendas continua em queda, dinâmica que tem sido observada desde 2013 e que as montadoras acreditam que pode começar a ser revertida ao longo de 2019.


Entre janeiro e março deste ano, as vendas de carros feitas por meio de financiamento alcançaram 298 mil unidades, alta de 2,1% em relação a igual período do ano passado, segundo dados da B3. Por sua vez, a soma das vendas à vista com as financiadas chega a 580 mil unidades, expansão de 10%, no levantamento feito pela Fenabrave.

O crédito, com isso, perdeu participação no mercado de carros como um todo, saindo de 55% no primeiro trimestre de 2018 para 51% no primeiro trimestre deste ano. Em todo o ano passado, a importância dos financiamentos foi de 52% e, em 2013, de 63%.

As vendas à vista têm crescido mais porque o consumidor que consegue pagar o valor do carro de uma só vez foi o menos afetado pela crise, enquanto os brasileiros de menor renda, que sofreram mais com o desemprego, evitaram pedir crédito ou tiveram suas solicitações rejeitadas pelos bancos, que mantiveram postura mais seletiva para emprestar durante a recessão.

A situação permanece em 2019 porque o desemprego continua elevado e o crédito segue concentrado em clientes de alta renda, num cenário de incertezas crescentes em relação à aprovação da reforma da Previdência no Congresso, uma medida que, segundo analistas, teria condições de acelerar a recuperação econômica.

Além disso, tem crescido a venda carros para empresas, que são clientes com mais condições de fazer o pagamento à vista. Esse tipo de demanda é puxado principalmente pelas locadoras de veículos, que estão comprando mais carros para alugar a motoristas de aplicativos, uma atividade que cresceu durante a crise, em razão da escassez de empregos formais.

Só no mês passado, os financiamentos de carros novos atingiram 99,7 mil unidades, recuo de 10,4% em relação a março do ano passado, mas alta de 1% sobre o resultado de fevereiro.

Fonte: Estadão Conteúdo | Edição: Redação