Cidadão Consumidor

www.cidadaoconsumidor.com.br
o site da cidadania
Compra de Habilitação

Beneficiados por fraude no Detran terão carteiras de habilitação canceladas

05/12/2018 - 13:05 (Foto: Reprodução )

 Condutores de veículos em Mato Grosso que obtiveram a carteira nacional de habilitação (CNH) mediante pagamento de propina a examinadores e donos de auto escolas, sem fazer aulas e testes, terão seus documentos cancelados. É o que afirma o delegado Sylvio do Vale Ferreira Junior, que conduz a operação “Mão Dupla”, deflagrada nesta quarta-feira (5) pela Delegacia Especializada em Crimes Fazendários e Contra a Administração Pública (Defaz).

 
 
Segundo Sylvio do Vale, a Polícia Civil ainda não conseguiu apurar o número de pessoas que se beneficiaram do esquema criminoso operado no Departamento estadual de Trânsito (Detran-MT). Isso porque, segundo apontaram as investigações, a quadrilha já atua há 10 anos. 
 
Ainda conforme o delegado, algumas carteiras de habilitação já foram canceladas pelo Detran, que conseguiu identificar casos de fraude. “Algumas carteiras o Detran já cancelou, que foi o próprio Detran que identificou. Essas pessoas compareceram ao Detran e, inclusive, entregaram a carteira”, afirma.
 
Por ser um esquema antigo, o delegado acredita que o número de envolvidos é maior e, segundo ele, a operação também visa identificar todas essas pessoas, como servidores que já estejam aposentados, por exemplo. "Inclusive, a gente está efetuando busca na casa de examinadores que já aposentaram", acrescenta.
 
Até o momento, 30 pessoas são alvos dos 25 mandados de prisão preventiva e 35 de buscas e apreensões nas cidades de Cuiabá, Várzea Grande, São Félix do Araguaia, Chapada dos Guimarães, Campo Verde, Tangará da Serra, Juína e Rondonópolis. Nesses municípios, mais de 10 auto escolas estão sendo vasculhadas pelos policiais.
 
A Defaz ainda não confirmou o cumprimento de todas as diligências, apenas que 4 veículos foram apreendidos e que diligências no interior podem levar à apreensões de outros carros.
 
Os nomes dos alvos da operação também não foram divulgados, apenas o de Silvio Bueno, examinador do Detran que é apontado como o líder da organização criminosa. “É ele que coordena todo esse esquema e ele que faz as escalas de viagem. A partir desse momento em que são marcadas as provas práticas, é onde é consumado o crime. As escalas são montadas dentro do Detran e eles [examinadores] já saem daqui pra realizar a prova prática já pré-determinado quem seriam os candidatos aprovados”, explica o delegado.
Fonte: Gazeta Digital | Edição: Redação